Buscar
  • natalia1dois


A Escola Dinâmica comemora os excelentes resultados de seus alunos no Vestibular 2021. Dos alunos que prestaram as provas em 2021, a aprovação chegou a mais de 70%.

Além do excelente índice percentual, as aprovações aconteceram nas principais Universidades públicas de Santa Catarina, com alunos figurando, inclusive, entre as primeiras colocações.

Henrique Camillo Piscetta ficou em 1° lugar na Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, em Engenharia de Produção. Milena Piccoli de Moura conquistou também o 1° lugar no curso de História, da Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC e o 2° lugar em Letras, na UFSC.

Ana Rosa ficou em 2° lugar na Faculdade de Música, na UDESC. Matheus Piccoli de Moura foi aprovado em 5° lugar na UDESC, em Ciências da Computação. E Allana Bernardo dos Santos conquistou a 10° colocação na UFSC, em Zootecnia. Sofia Nueremberg Dias foi aprovada em Relações Internacionais, na UFSC e Alice Bracher, aprovada em Arquitetura e Urbanismo, na Faculdade de Belas Artes, em SP.

Destaque também para o aluno Frederico Catapan Narciso, aluno Dinâmica desde a primeiro ano até o nono do Ensino Fundamental, onde recebeu as bases de seu processo de aprendizagem. Ele foi 4º lugar geral na UFSC; 2º lugar Engenharia Mecânica na USP, Campus São Carlos; aprovado para a primeira fase do ITA; 2º lugar Engenharia Mecânica UFSC; 3º lugar Medicina UFSM e 2º lugar Medicina da FURB.

Parabéns a todos!

44 visualizações0 comentário


A Escola Dinâmica abriu o ano letivo de 2022, nas suas cinco Unidades, localizadas em Florianópolis (Centro Jurerê, Leste, Ambiental e Primavera), nesta segunda, dia 14 de fevereiro. Mais de 1500 alunos retornaram à atividades pedagógicas nas Unidades que atendem desde a Educação Infantil até o Ensino Médio, com High School, em parceria com a Universidade do Missouri, nos EUA.


E 2022 abre cheio de inovações. Destaque para o treinamento de professores e coordenações que deram a largada nas capacitações da equipe pedagógica. Mais de 200 professores receberam treinamento exclusivo para gestão, liderança e planejamento. Durante as duas semanas que antecederam a Volta às Aulas 2022, a Unidade Ambiental recebeu as equipes das Unidades, em diferentes espaços como o Centro de Convivência e o auditório bilíngue.

Entre as empresas parceiras no processo de Capacitação Pedagógica estiveram a SOMOS, a Zoom Educação Tecnológica, André Carrieri, Arte da Conversa, com Carol Ramalhete, entre outras reuniões de alinhamento com coordenação geral e direção.


Novo Ensino Médio

Novidade em 2022 é a implantação do Novo Ensino Médio, na Unidade Ambiental. São pilares fundantes, o protagonismo dos estudantes, o desenvolvimento do projeto de vida, a ampliação da carga horária de estudos e atividades à distância. Destaque para a implementação dos itinerários formativos, que aprofundarão áreas de interesse do aluno e sua formação para o mundo social e do trabalho.


Por meio desses cursos, os alunos poderão ampliar seu repertório sociocultural, viver experiências educacionais diferenciadas, fazer escolhas mais alinhadas com seu perfil e seus objetivos, além de desenvolver as competências do século XXI tornando-se capazes de tomar decisões com mais autonomia, confiança e consciência em relação a si, ao outro e ao mundo.


Material Pedagógico

Cada aluno com seu próprio computador na Unidade Ambiental. Para uso em sala de aula e em casa. Novidade que traz a inovação e a tecnologia com olhar voltados o futuro. Todos os alunos de sexto ano ao Terceirão vão utilizar o Learning book, um notebook pessoal que conecta alunos e professores por meio de uma plataforma com conteúdo pedagógico totalmente digital.

Nele é possivel acessar material didático, além de conteúdos e exercícios personalizados pelo professor, como tarefas, diagnósticos, provas, vídeos e animações.

O computador está conectado às ferramentas do Google for Education, além de emitir relatórios de desempenho e acompanhamento do processo de ensino.


Um novo passo rumo ao melhor futuro da aprendizagem.


Investimentos em Infraestrutura


A Unidade Ambiental abre 2022 com novos investimentos na área de infraestrutura, com criação e ampliação de novos espaços de áreas externas, internas, além de novos ambientes pedagógicos.


Destaque para a passarela que une os complexos de Ensino Fundamental e Médio à Educação Infantil. A Escola cobriu com policarbonato os 50 metros de acesso entre os prédios, em estrutura de alumínio, melhorando a circulação e a passagem de estudantes, colaboradores e familiares.


O refeitório foi ampliado e teve seu acesso modificado para melhor atender o fluxo de alunos nos horários do almoço. O espaço recebeu anexo com aberturas de vidro e nova cobertura. Toda área frontal do prédio principal ganhou um deck de madeira que nivela e integra os espaços de entrada da Escola, como secretaria, corredor central e biblioteca.


O Ensino Médio teve seu mobiliário totalmente substituído e as paredes tiveram seus adesivos temáticos revitalizados.

Houve a ampliação dos espaços pedagógicos externos e foram contruídas três salas de aula tipo co-working para uso compartilhados das turmas de Ensino Fundamental e Médio, no Centro de Convivência.


Toda a estrutura de marcenaria da Educação Infantil foi renovada. As salas ganharam áreas com varandas para a realização de projetos pedagógicos integrados e ao ar livre. Todas as salas foram pintadas e ganharam novas estantes e novos móveis. Uma parede de escalada foi instalada na parede das varandas para mais possibilidades de diversão.


O campo de futebol foi revitalizado e recebeu novas telas de alambrado, protegendo de forma completa a área para a prática do esporte. As goleiras receberam novas redes e foram instalados dois portões , tipo social, para entrada e saída do campo.




75 visualizações0 comentário
  • natalia1dois

Você consegue imaginar uma aula de química dentro de um tribunal? Foi neste contexto que o professor Romero Gomes ensinou aos alunos de nono ano sobre agrotóxicos e transgênicos. Aderente à proposta pedagógica da Escola, a aula convida à transversalidade como forma de eficientizar o aprendizado e ainda ampliar conexões cognitivas entre diferentes saberes.


O professor apresentou para os alunos o caso onde uma ação foi impetrada por um cidadão que pedia indenização pelo tratamento de leucemia da filha com alegação de consumo de transgênicos.


A turma foi dividida em três grandes grupos compostos pela promotoria, pela defesa e pelo júri, que teve que decidir sobre o caso de uma menina com leucemia que acusava os produtores de soja transgênica pelo agravamento da sua doença e reembolso dos valores pagos pelo tratamento.


Além da pesquisa sobre os temas da disciplina de química - para a construção das argumentações de acusação e defesa, o projeto ainda envolveu os alunos no conhecimento das leis e códigos jurídicos que envolvem a produção e regulamentação de alimentos transgênicos e o uso de agrotóxicos nas lavouras.


No final, o júri decidiu pela inocência do réu, sob alegação de que o problema foi causado pelos agrotóxicos e não pela transgenia. Entretanto, o réu foi acusado de omissão. A defesa vai entrar com recurso.


“A turma aprendeu muito e ficou extremamente mobilizada com o projeto. O trabalho foi muito além das questões referentes a conteúdos acadêmicos. Conversamos sobre o quão desafiador é o papel da justiça”, disse o professor Romero Gomes.


O projeto teve apoio dos professores Luiz Ferrua e Marileia Pires. Coordenação Thereza Coutinho.

41 visualizações0 comentário